efectos-oxigeno-2

Efeitos do Oxigênio

Administrando oxigênio a uma pressão maior do que a normal, obtém-se a “Oxigenação Hiperbárica” ou Hiperóxia.

Este método produz um aumento significativo da quantidade de oxigênio que se dilui no plasma sanguíneo favorecendo o metabolismo celular, permitindo que o oxigênio chegue ao cérebro, cartilagens, ossos e tecidos, que não o recebem adequadamente por diversas alterações circulatórias.

Isto facilita o aumento do controle das infecções e a rápida recuperação de uma infindável quantidade de patologias, doenças degenerativas e circulatórias. Colabora e unifica as terapias que os médicos adotam frente a determinadas patologias, evitando assim, as conseqüências de lesões mais graves e deteriorações físicas produzidas pelos estados de Hipóxia (falta de Oxigênio).

Efeitos fisiológicos

A partir da hiperóxia produz-se uma extensa cadeia de efeitos fisiológicos que, no processo de desinflamação e regeneração de tecidos em várias patologias, oferecem maior eficácia aos tratamentos médicos habituais.

Entre eles, destacam-se:

  • Vasoconstrição

A hiperóxia produz a vasoconstrição das pequenas artérias produzindo a desinflamação a partir da redução do edema.

  • Angiogênese

A hiperóxia estimula e facilita a formação de pequenos vasos acelerando o processo de cicatrização.

  • Estimula a síntese de colagênio

A hiperóxia estimula os fibroblastos que são as células que produzem o colagênio, que por sua vez, é a substância fundamental ao processo de cicatrização de feridas e restauração de tecidos.

  • Osteogênese

A hiperóxia estimula a diferenciação das células formadoras do osso favorecendo a osteogênese e restauração óssea.

  • Estimula a imunidade celular

Um dos tipos de glóbulos brancos, os polimorfonucleares, utilizam radicais livres como mecanismo bactericida. Este processo favorece-se e estimula-se com a presença de O2.

  • Regula o Estresse Oxidativo e a Resposta Inflamatória

A hiperóxia atua sobre reguladores e mediadores da resposta inflamatória e diminui o estresse oxidativo dando origem a resultados anti-inflamatórios e diminuição do dano celular.

  • Estimulação de células-tronco

A hiperóxia estimula a diferenciação e liberação de células-tronco (Stem Cells) facilitando o processo de restauração de tecidos e a formação de novos vasos sanguíneos.

  • Estimulação da regeneração axonal periférica

Permite uma rápida recuperação funcional em pacientes com neuropatias periféricas tais como paralisia facial.

  • Aumento e redistribuição do fluxo cerebral

A maior disponibilidade de O2 a nível cerebral resulta na desinflamação e maior captação de O2 celular, beneficiando o tratamento e reabilitação de pacientes com AVC, paralisia cerebral, transtornos do espectro autístico e doenças neurodegenerativas.

  • Aumento do êxito em excertos e implantes

A Hiperóxia aumenta a taxa de aceitação de implantes e excertos utilizados em queimados e em cirurgia